Arquivo mensal: maio 2013

Trabalho de Campo no Jardim Botanico de SP – Turmas de Licenciatura em Geografia 2013 – UNIESP / Centro Novo

Padrão

Como parte das comemorações ao dia do Geógrafo (29/05), os alunos do curso de Licenciatura em Geografia da UNIESP campus Centro Novo realizaram domingo dia 26 uma série de atividades pedagógicas no Jardim Botânico de São Paulo (Zona Sudeste da cidade).

Entre as atividades o destaque foi para a análise 2 importantes dos domínios morfoclimáticos: o Cerrado e a Mata Atlântica ora simulados em 2 estufas do Parque. Os alunos da disciplina Teoria e Método (4NA) em Geografia se prepararam para realizar a visita monitorada junto aos alunos de Geografia Agrária (3NA e 3MA). Eles apresentaram os domínios a partir das diversas correntes teóricas elementares para a geografia tais como o Naturalismo fundada por Alexander Von Humboldt e a Geografia Humana de Vidal de La Blache.

Ressaltamos ainda o inestimável apoio da Monitora Daniele do Museu de Botânica que transmitiu aos alunos preciosas informações sobre a estrutura do parque e sua história.

O trabalho foi monitorado pelo Prof. Ms. Sérgio Rizo.

Álbum de fotos: http://www.flickr.com/photos/sergiorizo/sets/72157633726228199/

Anúncios

Dicionário feito por crianças revela a adultos um mundo que já esqueceram

Padrão

Um professor colombiano passou dez anos coletando definições de seus alunos e, como resultado, obteve um dicionário com verbetes ao mesmo tempo puros, lógicos e reais

Imagem

A Feira do Livro de Bogotá, que aconteceu no final de abril, teve como maior sucesso um livro chamado “Casa das estrelas: o universo contado pelas crianças”. Mais especificamente, uma parte dele: umdicionário feito por crianças que traz cerca de 500 definições para 133 palavras, de A a Z.

Apesar de lançado originalmente em 1999, o livro foi reeditado neste ano. Javier Naranjo, o autor, conta que compilou as informações durante dez anos enquanto trabalhava como professor em diferentes escolas do estado de Antioquía, região rural do leste do país.

A ideia surgiu quando, em uma comemoração do Dia das Crianças, ele pediu que seus alunos definissem a palavra “criança”. O resultado encantou o professor – uma das definições era “uma criança é um amigo que tem o cabelo curtinho, não toma rum e vai dormir mais cedo”. A partir daí foram surgindo novas definições, que eram sempre anotadas e guardadas.

Para ele, as crianças têm uma lógica diferente, uma maneira própria de entender o mundo e de revelar muitas coisas que os adultos já esqueceram. É assim que, no peculiar dicionário, o adulto é uma “pessoa que em toda coisa que fala, fala primeiro de si”,  água é uma “transparência que se pode tomar”, um camponês “não tem casa, nem dinheiro. Somente seus filhos” e a Colômbia é “uma partida de futebol”.

Confira no box ao lado alguns dos verbetes encontrados no livro.

 

OS VERBETES

 

Adulto: Pessoa que em toda coisa que fala, fala primeiro dela mesma (Andrés Felipe Bedoya, 8 anos)

Ancião: É um homem que fica sentado o dia todo (Maryluz Arbeláez, 9 anos)

Água: Transparência que se pode tomar (Tatiana Ramírez, 7 anos)

Branco: O branco é uma cor que não pinta (Jonathan Ramírez, 11 anos)

Camponês: um camponês não tem casa, nem dinheiro. Somente seus filhos (Luis Alberto Ortiz, 8 anos)

Céu: De onde sai o dia (Duván Arnulfo Arango, 8 anos)

Colômbia: É uma partida de futebol (Diego Giraldo, 8 anos)

Dinheiro: Coisa de interesse para os outros com a qual se faz amigos e, sem ela, se faz inimigos (Ana María Noreña, 12 anos)

Deus: É o amor com cabelo grande e poderes (Ana Milena Hurtado, 5 anos)

Escuridão: É como o frescor da noite (Ana Cristina Henao, 8 anos)

Guerra:Gente que se mata por um pedaço de terra ou de paz (Juan Carlos Mejía, 11 anos)

Inveja: Atirar pedras nos amigos (Alejandro Tobón, 7 anos)

Igreja: Onde a pessoa vai perdoar Deus (Natalia Bueno, 7 anos)

Lua: É o que nos dá a noite (Leidy Johanna García, 8 anos)

Mãe: Mãe entende e depois vai dormir (Juan Alzate, 6 anos)

Paz: Quando a pessoa se perdoa (Juan Camilo Hurtado, 8 anos)

Sexo: É uma pessoa que se beija em cima da outra (Luisa Pates, 8 anos)

Solidão: Tristeza que dá na pessoa às vezes (Iván Darío López, 10 anos)

Tempo: Coisa que passa para lembrar (Jorge Armando, 8 anos)

Universo: Casa das estrelas (Carlos Gómez, 12 anos)

Violência: Parte ruim da paz (Sara Martínez, 7 anos)

Fonte: http://catracalivre.com.br/geral/cidadania/indicacao/dicionario-feito-por-criancas-revela-a-adultos-um-mundo-que-ja-esqueceram/

Por conta do metrô, quadra da Vai-Vai tem que sair do Bixiga?

Padrão

Interessante texto de Raquel Rolnik: http://raquelrolnik.wordpress.com/2013/05/02/por-conta-do-metro-quadra-da-vai-vai-tem-que-sair-do-bexiga/

Tem ótima relação com a discussão sobre a abordagem teórica da Geografia Cultural (Curso de Teoria e Método)

Simpósio Internacional no Depto. Geografia USP

Padrão

cropped-banner1

Local: Departamento de Geografia

Data: 27, 28 e 29 de maio de 2013

Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil

O II Simpósio Internacional Eletrificação e modernização social a ser sediado na Universidade de São Paulo é uma reedição do Simpósio Internacional Globalización, innovación y construcción de redes técnicas urbanas en América y Europa, 1880-1930 realizado em função do centenário da companhia Barcelona Traction – empresa do grupo Light, também atuante no Brasil e no México – e organizado pela Universidade de Barcelona em 2011. Como resultado das importantes contribuições apresentadas em 2011, o II Simpósio Internacional busca compreender a expansão das técnicas, dos investimentos e da política das empresas do setor elétrico das regiões pioneiras na consolidação da indústria elétrica para a periferia.

+ info: http://www.sti.fea.usp.br/energia/?page_id=26